Criatividade X Hipnose X Mapa da Empatia

11 Setembro 2019

Título curioso!

 

Sim, eu sei, realmente é um título curioso. É que em poucos dias tive contato com duas fontes de informação (relatório do Fórum Econômico Mundial e palestra sobre hipnose) que me fizeram relacionar alguns conceitos ccom uma ideia de avaliação de perfil de pessoas (mais especificamente, de gestores).

Mas deixe eu explicar e poderemos ver se fará sentido para você como está fazendo para mim. Vamos por partes.

 

O relatório do Fórum Econômico Mundial

Entre diversos posts que li no LinkedIn, me chamou a atenção um que tratava sobre a importância da criatividade como uma das 10 habilidades que terão muita importância para os profissionais no ano de 2022 e que tem como base um relatório elaborado pelo Fórum Econômico Mundial. Buscando este Relatório (1), verifiquei (entre outras informações bem interessantes) que dentre as habilidades em destaque está a criatividade (em conjunto com originalidade e iniciativa) que, pelas pesquisas realizadas, estava colocada em quinta posição no ano de 2018 e deverá subir para terceira em 2022.

 

Comparação das demandas de habilidades (conforme Tabela 4 do Relatório)

 

 

 

Logicamente que habilidades relacionadas ao domínio da tecnologia terão papel cada vez mais importante, mas aquelas que têm como base questões humanas, ainda não (facilmente) executadas pelas máquinas, serão um diferencial para os profissionais que as possuírem e aplicarem. Ainda segundo o relatório, isso significa pessoas que no seu trabalho testam suas ideias, buscam alternativas novas e inteligentes para as situações apresentadas e outras características relacionadas a isso.

Uma observação interessante: o Relatório apresenta diversos resultados da pesquisa realizada, tanto geral quanto por segmentos de mercado e países. No caso do Brasil, a criatividade também aparece como sendo uma das habilidades que deve se destacar cada vez mais, lembrando que os resultados foram obtidos a partir de pesquisas feitas com empresas em cada país, ou seja, refletem o pensamento do ambiente corporativo.

 

Habilidades emergentes no Brasil (conforme perfil do Brasil no Relatório)

   

 

 

Tem bastante informação neste Relatório. Se quiser dar uma olhada, deixei a fonte lá embaixo nas referências.

 

E sobre a hipnose?

Estive ontem de manhã em uma palestra sobre este tema. E antes que alguém diga que a atividade foi fazer algum participante pensar que era um cãozinho e começar a latir... não, não foi nada disso.

Não tenho a intenção aqui de passar toda a carga de informação e emoção que tivemos oportunidade de receber no evento e nem estou indicando algum tipo de tratamento. Estou apenas trazendo alguns conceitos que possam se relacionar com este texto que estou apresentando a vocês.

 

 

Basicamente (bem basicamente mesmo!), entendi que a hipnoterapia, que é a hipnose voltada para a parte clínica, procura apoiar a pessoa que tem algum bloqueio ou crença limitante a se redescobrir e passar para um estágio melhor de vida, proporcionando condições de saúde física e mental que ajudem no seu dia a dia e na sua evolução enquanto ser humano. Algo como buscar melhores hábitos, mais satisfação e sucesso.

Resumindo, aprendi que sei muito pouco sobre hipnose / hipnoterapia, mas já aprendi que é mais um assunto bacana que preciso estudar mais.

 

Agora chegamos ao Mapa da Empatia!

Primeiro, um pouco de conceito (sem ser chato, só para nivelar o conhecimento!). O Mapa da Empatia foi criado pelo consultor norte-americana Dave Gray e é uma ferramenta que ajuda a captar as percepções do cliente colocando-se no lugar dele. Por meio do Mapa, busca-se entender o que o cliente faz, diz, pensa e sente, além de seus objetivos e angústias e, com estas informações, a ideia é proporcionar ao cliente a melhor experiência. Na prática, o Mapa da Empatia é um quadro de fácil visualização, uso e entendimento e que contém campos nos quais são lançadas as informações coletadas.

E vejam só. O próprio autor comenta que uma das principais alavancas para a mudança está na cabeça das pessoas e que o segredo da verdadeira motivação deve vir de dentro de cada um.

Bem interessante notar que até o nome – Mapa da Empatia – remete à natureza desta ferramenta: um mapa, que apresenta de maneira visual algumas informações; a empatia, que é a capacidade de se colocar no lugar do outro.

 

Modelo de Mapa da Empatia(2)

 

 

 

 

Juntando as partes

Relembrando o título deste artigo: Criatividade X Hipnose X Mapa da Empatia. Na minha concepção, cada vez mais é necessário um olhar voltado ao crescimento da pessoa para que o mundo em volta também se desenvolva. No que se refere ao ambiente corporativo, a existência de condições favoráveis ao “pensar diferente” e o estímulo à participação de cada um nos diversos processos pode contribuir para novos níveis de sucesso.

Nestas três abordagens que apresentei, o foco está no ser humano, com muita técnica e carga conceitual envolvidas. Desde a valorização da criatividade – conforme mostrado no Relatório do Fórum - passando pelo autodesenvolvimento – técnicas de hipnose - e chegando em uma forma de compartilhamento e construção conjunta de ideias – Mapa da Empatia.

 

Resultado de tudo isso: o questionário de perfil de gestor

Trazendo todos estes conceitos para o “mundo da consultoria empresarial”, vejo que um caminho para contribuir com a busca de melhores resultados é a identificação de como o gestor (seja ele o empresário, diretor etc.) está percebendo determinada situação, ainda que este “perceber” não esteja claro nem para ele. Dessa forma, numa criação de metodologia com um parceiro de negócios, estruturamos um questionário com o objetivo de procurar entender o gestor e seu contexto.

Este questionário é composto por dez questões baseadas na ideia geral do Mapa da Empatia e desafia o gestor a refletir e priorizar algumas situações a que está sujeito ao longo de sua jornada enquanto profissional.

 

Para acessar o questionário, clique na figura abaixo:

 

 

 

Não se tem a pretensão de ter um modelo que esteja abrangendo 100% do que o gestor vê, pensa, sente, escuta, fala e das suas dores e desejos, mas é um passo inicial para que percepções possam ser analisadas e transformadas em ações que ajudem no sucesso não somente da empresa, mas das pessoas que ali atuam, atendendo bem o cliente e, por que não dizer, contribuindo com o desenvolvimento da sociedade.

Fique à vontade para fazer sua avaliação, comentar e dar suas sugestões!

 

 

Referências:

(1) The Future of Jobs Report 2018. Disponível clicando aqui (acesso em 11 set 2019).

(2) Versão na língua portuguesa do Mapa atualizado. Original em: Updated Empathy Map Canvas. Dave Gray. Disponível clicando aqui (acesso em 11 set 2019).

 

 

 

 

Página inicial